Textos

Sobre medos, borboletas e fobias

Você sabe qual a diferença entre um medo e uma fobia? Ter medo de alguma coisa é algo “racional”, ao menos tão racional quanto pode ser. Por exemplo, o medo de um acidente aéreo acontecer enquanto você está dentro de um avião. Bem, desastreas aéreos parecem acontecer o tempo todo, não? Quantas pessoas você já viu sobreviverem a um acidente assim? Apesar de acidentes com automóveis matarem mais pessoas anualmente do que qualquer acidente relacionado a aeronaves, você não ouve tanta gente com medo de andar de carro.

Mas uma fobia é algo irracional. É uma forte sensação de ansiedade causada por um estímulo ou situação. Se você tem medo de aranhas, por exemplo, você tem arachnophobia, já que aranhas não podem causar nenhum mal real a você – a não ser que você se encontre no meio de uma floresta, milhas e milhas de distância da sala de emergência mais próxima…

Existe também o medo do medo: você não apenas morre de medo de borboletas (lepidopterophobia), ou de ser constantemente seguido por um pato (anatidaephobia) ou qualquer outro medo assim. Você sente medo do próprio medo, sente medo de ser incapaz de fazer algo, de nunca alcançar os objetivos que você definiu para a sua vida. Você teme acordar um dia e se dar conta que você não é, contrário à crença popular, imortal. Você teme descobrir, de repente, que a vida é curta demais e que todas aquelas coisas que preocuparam tanto você não eram assim tão importantes. Você tem medo de acordar um dia aos 80 anos de idade e descobrir só então que você podia ter feito tantas coisas e ter conhecido tantos lugares diferentes e ter feito amizade com tantas pessoas incríveis, se ao menos você não tivesse tido medo de sair da sua própria casa e abraçar o mundo e todas as suas oportunidades e experiências que mudam a vida.

Se apenas você não tivesse tido tanto medo de dizer “sim” no lugar de “não’, porque dizer “sim” significaria correr riscos, sair da sua própria bolha e se responsabilizar por suas próprias ações, especialmente por seus fracassos. Ah, os seus fracassos! Você teme falhar quase mais do que teme o medo em si mesmo e é por isso que você está preso nesse momento, temendo não saber para onde ir.

Escrevi esse texto no meio de uma aula chata (qual aula não é chata hoje em dia?), em inglês, porque é sempre mais fácil me expressar em outra lingua desconhecida do que a minha própria. A tradução nunca fica como o original, mas eu tentei deixar do jeito mais próximo.

You Might Also Like

6 Comments

  • Reply
    Taís.
    29 de abril de 2012 at 12:19 AM

    Carol, cada dia me surpreendo com você!
    eu tenho as fobias q vc citou (menos de aranha), fora a de aves, eu fiquei com medo so de ler os nomes… nossa! Meta para 2012 pensar racionamente para vencer minhas fobias, tenho tido progressos… Quanto a esse medo da vida, acho q ja conversamos sobre, me sinto exatamente igual…

  • Reply
    Carolina Patrício
    29 de abril de 2012 at 2:45 PM

    hohoho, que bom que você se surpreende para o bem, Taís! Eu tenho poucas fobias, mas MUITOS medos, e isso às vezes me paralisa… Obrigada pelo comentário, beijos!

  • Reply
    Pat
    29 de abril de 2012 at 9:10 PM

    Carol, adorei o texto!Você realmente leva jeito pra escrever!:)
    Concordo com você…se não tivéssemos tanto medo de dizer "sim" no lugar de não….
    Parabéns 😀

  • Reply
    Carolina Patrício
    2 de maio de 2012 at 3:05 PM

    Obrigada, Pat! Eu queria ter menos *medo* de publicar meus textos aqui… Beijos

  • Reply
    Thaís Emanuelly
    5 de maio de 2012 at 6:11 PM

    adorei o texto, carol!! 🙂
    vou ficar assídua aqui!
    bjs

  • Reply
    Carolina Patrício
    9 de maio de 2012 at 2:53 PM

    Oi Thaís, faz tempo que a gente não se fala, né? Eu tô pensando em escrever mais textos assim, mas dá uma vergonhazia de postar aqui… ;*

Deixe uma resposta