Desafio Literário Livros

Desafio Literário: Agosto – 2012

Estava lendo um pouco sobre percepção do tempo e sobre o que faz a gente achar que o tempo passa às vezes mais rápido, às vezes mais devagar. Pelo que eu pude entender, e olha que eu não entendi muita coisa, essa percepção muda de acordo com a presença (ou ausência) de três fatores: trabalho, esforço e prazer. Só sei dizer que o ano está passando rápido demais, que eu estou me sentindo absurdamente velha, que não tenho trabalhado nada (faculdade em greve + sem coragem de ler os textos para o TCC) e só posso concluir que simplesmente não há tempo suficiente no mundo para ler tudo o que eu gostaria.

Então, esses foram os livros que eu li (ou terminei de ler) no mês de agosto:

A Culpa é das Estrelas (The Fault in Our Stars) – John Green
Como nerdfighter, tenho um pouco de vergonha de admitir, mas esse foi o primeiro livro do John Green que eu li até o fim. A história de Hazel Grace, sem muitos spoilers, é linda, divertida e triste ao mesmo tempo. Hazel é uma adolescente diagnosticada com câncer terminal e, por um milagre, o seu tumor encolhe e ela descobre que vai viver por mais alguns anos. No Grupo de Apoio a Crianças com Câncer, Hazel conhece um garoto chamado Augustus Waters e é a partir daí que a história começa. Adorei o livro, os personagens, o enredo, as reviravoltas, a dedicatória para a Esther! Acho que agora eu vou sair distribuindo esse livro para todos os meus amigos, e só posso dizer o que o próprio John Green disse no tumblr: se você ler por recomendação minha e não gostar, pode me dar um soco na barriga.

A Vida, o Universo e Tudo Mais (Life, the Universe and Everything) – Douglas Adams
Quando eu comecei a ler essa série, não podia imaginar que cada livro ficaria cada vez mais estranho. Mas é um tipo de estranho histérico, que me faz rir sozinha no meio de um ônibus, sabe? Nesse volume, o humano Arthur Dent passa anos abandonado na Terra Pré-Histórica, mas acaba sendo arrastado para salvar o Universo da destruição por parte dos terríveis robôs do planeta Krikkit. No início, foi um pouco difícil acreditar nesse universo bizarro e aleatório, mas depois me acostumei a não esperar o esperado. Achei que esse volume não foi tão engraçado quanto os dois primeiros, mas adorei muitas partes, especialmente a conversa entre Marvin e o colchão falante, a maneira correta de aprender a voar e a parte sobre Agrajag, uma criatura que é reencarnada várias vezes para simplesmente ser morta (sem querer) por Arthur outra vez.

Anna Karenina – Leo Tolstói
Não vou fingir que foi fácil ler esse livro, porque não foi. Demorei quase um ano para terminar, voltei e reli vários capítulos e li até mesmo o texto comentado lá no Sparknotes. Acho, acho, que entendi em parte, mas ainda não tenho certeza. O enredo é bem entrelaçado, são muitos personagens com nomes complicados (por exemplo, Levin, Kostantin e Kostya são o mesmo personagem – o primeiro nome, o patronímico e o apelido – e isso me confundia às vezes), mas isso é até de se esperar de um romance russo do séc. XIX. O que eu não consegui mesmo foi me sentir “solidária” à maioria dos personagens, algo muito importante para mim. Enfim, o livro é sobre, mas não está limitado a, Anna Karenina, uma mulher casada que começa a ter um caso amoroso com um conde chamado Vronsky. É um romance sobre adultério e paixões proibidas. Muitas partes são brilhantemente escritas, os pensamentos dos personagens, as suas motivações e a maneira que interagem uns com os outros, tudo tão incrível que eu esquecia de comer ou beber água. Mas isso é contrabalançado com partes que se arrastam, capítulos que detalham sobre política ou sobre agricultura, e eu simplesmente tinha que me forçar para continuar a ler. Acho que esse é um daqueles livros que exigem mais do leitor e por isso pretendo lê-lo novamente mais para o futuro. Lembrando que o filme com Keira Knightley estreia esse mês lá fora, e dia 1º de fevereiro de 2013 aqui no Brasil.

Noite em Claro – Martha Medeiros
Noite em Claro é um livro curtíssimo da Coleção 64 Páginas da L&PM Editores. Nele, uma mulher conta a própria história de vida enquanto chove lá fora. Acompanhada de uma garrafa de champanhe, ela promete escrever sobre os seus relacionamentos e suas frustrações até parar de chover. Apesar de breve, eu aproveitei muito dessa leitura e do senso de humor da autora. Ainda pretendo ler Non-Stop e Divã.

O Menino do Pijama Listrado (The Boy in the Striped Pajamas) – John Boyne
A história se passa durante a Segunda Guerra Mundial e acompanha a vida de Bruno, um menino de 9 anos de idade que se muda com os pais e a irmã mais velha para uma casa distante dos amigos e familiares, para seu desespero. Eu acabei descobrindo como a história termina minutos antes de começar a ler e fiquei muito chateada (odeio spoilers!), acho que por isso não mergulhei na história completamente… Mas no geral, gostei bastante do livro, me lembrou um pouco A Menina que Roubava Livros. Agora vou procurar ver o filme!

A Cor Púrpura (The Color Purple) – Alice Walker
A Cor Púrpura é um livro lindo, que estava sentado na estante aqui de casa há anos, pacientemente me esperando para ser lido. Escrito em forma de cartas, o livro acompanha a vida de Celie, uma garota de 14 anos, pobre, sem educação e negra, que mora no estado da Georgia, nos Estados Unidos do início do séc. XX. Ela sofre abusos do pai e, ao tentar proteger a irmã Nettie, acaba se casando com um homem mais velho e bruto, vivendo uma vida infeliz. É uma história sobre superação, preconceito e racismo, sobre uma mulher forte e inspiradora e sobre o amor entre duas irmãs. Recomendo muito também o filme, de 1985, dirigido por Steven Spielberg, com Whoopi Goldberg e a Oprah.

O Morro dos Ventos Uivantes (Wuthering Heights) – Emily Brontë
O Morro do Ventos Uivantes foi publicado pela primeira vez em 1847 sob o pseudônimo Ellis Bell, já que na época havia um certo preconceito com livros publicados por mulheres. O livro conta a historia de amor destrutivo entre Catherine Earnshaw e seu irmão adotivo, Heathcliff, e como essa paixão mal resolvida afetou a vida das pessoas ao seu redor. É uma história cheia de vingança e ódio, e narradores de inclinações duvidosas, bem polêmico para a época. Me deu vontade de ler Jane Eyre, da irmã Charlotte Brontë e me deixou muito curiosa para saber mais sobre a vida da família Brontë.

Adele: Uma Biografia – Chas Newkey-Burden
Esse livro provavelmente teria sido mais interessante se eu já não tivesse lido tudo sobre a vida de Adele em sites de fãs por aí. O livro conta desde o nascimento da cantora, o relacionamento um pouco conturbado com o pai, a influência da mãe na sua educação e a importância da BRIT School para a sua carreira. Além disso, o livro acompanha os lançamentos dos álbuns 19 e 21 e a introdução na indústria da música nos Estados Unidos, além da repercussão de suas músicas pelo mundo. Fiquei mais apaixonada ainda por ela e recomendo muito ver a participação que ela fez no Never Mind The Buzzcocks, em 2008 (em inglês), citada no livro.

Cem Sonetos de Amor – Pablo Neruda
Livro de sonetos escrito pelo poeta chileno e vencedor do Prêmio Nobel da Literatura em 1971, Pablo Neruda. Publicado pela primeira vez em 1959, Cem Sonetos de Amor foi dedicado à terceira esposa do escritor, Matilde Urrutia, e é uma linda declaração de amor dividida em quatro partes: Manhã, Meio-dia, Tarde e Noite. O soneto XVII, muito conhecido, se tornou o meu favorito:

Te amo sem saber como, nem quando, nem onde.
Te amo diretamente sem problemas nem orgulho;
Assim te amo porque não sei amar de outra maneira,

Fiquei com vontade de ler a versão em espanhol (preferencialmente comentada) para entender melhor o conteúdo do texto. Também fiquei com vontade de ler o livro de memórias Mi vida junto a Pablo Neruda, publicação póstuma de Matilde sobre a sua vida com o escritor, e de visitar a La Chascona, a casa que Neruda construiu para ela e que virou museu, em Santiago, no Chile.

Cinquenta Tons de Cinza (Fifty Shades of Gray) – E.L. James
Então, eu li esse livro por conta de uma curiosidade mórbida que eu tenho. Às vezes essa curiosidade me faz ler livros incríveis, como 1Q84 ou Guerra dos Tronos, mas às vezes me faz ler coisas como Crepúsculo, então é na base da tentativa e erro mesmo. Não gostei, recomendo que você passe longe e recomendo muito assistir a esse vídeo da Tatiana Feltrin aqui, em que ela fala sobre o livro e porque evitá-lo, e ler essa resenha aqui (em inglês) no Goodreads, que resume toda a minha opinião (e ainda na forma de gifs!).

Ufa… Assim, eu termino o mês de agosto tendo lido 35 livros de 50, dois livros adiantada. Já li mais livros em 2012 do que o ano passado ao todo e acho que dessa vez eu vou conseguir terminar o Desafio!

You Might Also Like

2 Comments

  • Reply
    Luciana Guerra
    18 de setembro de 2012 at 3:46 PM

    Muito bom esse post todo, adorei! Você é muito onívora hahaha tem de 50 shades a Anna Karenina no mesmo post! 😀

  • Reply
    Carolina Patrício
    3 de outubro de 2012 at 7:01 PM

    Agosto foi o mês do ócio, ou melhor, de ler coisas que não deveriam ser lidas e não ler coisas que deveriam ser urgentemente lidas…

Deixe uma resposta