Desafio Literário Livros

Desafio Literário – Setembro 2012

Eu sei que eu sempre falo que os meses passam rápido… Mas o mês de setembro passou tão rápido, não? Continuei com o projeto de ler os livros que vão virar filme em 2012 e que comprei no Book Depository, com Life of Pi e The Hobbit. Além deles, li também O Médico e o Monstro, O vendedor de Armas, Apaixonada por Palavras e O Clube do Filme.

Atenção: SPOILERS!

Life of Pi (A Vida de Pi) – Yann Martell
Piscine Molitor Patel, apelidado de Pi, é um garoto indiano de 16 anos, filho de um tratador de zoológico. Por causa da instabilidade política da Índia, os pais de Pi decidem se mudar para o Canadá, junto com os animais do zoológico. Eles embarcam em um navio cargueiro que acaba naufragando no meio do Oceano Pacífico e Pi se encontra dividindo um barco salva-vidas com mais quatro membros inconvenientes: uma zebra, uma hiena, um orangotango e um tigre de Bengala.

Apesar de ter recebido vários prêmios, como o Booker Prize de 2002, e de ter sido bastante aclamado pela crítica, li diversos comentários negativos em relação à história, principalmente por ter uma premissa muito parecida com a do livro Max e os Felinos, do escritor brasileiro Moacyr Scliar. Ainda não li esse livro, então depois eu me decido se foi plágio ou não, mas por enquanto, A Vida de Pi fica na minha lista de livros incríveis! Pi aborda várias questões sobre fé e religião, sobre cuidados com animais e sobre a vida em alto-mar, temas que podem parecer cansativos, mas que eu achei tão interessantes, nada repetitivos e fiquei até com vontade de ler mais sobre esses assuntos. Um livro que me fez parar para pensar sobre a minha vida e sobre o que eu acredito. Não exatamente sobre a fé em um deus ou alguma coisa assim, e mais sobre o que é preciso para manter a fé em algo, apesar das tribulações.

Lembrando que o filme estréia dia 25 de dezembro aqui no Brasil. Estou muito ansiosa, ainda mais depois de ver esse segundo trailer:

The Hobbit (O Hobbit) – J. R. R. Tolkien
O segundo livro que li em setembro foi O Hobbit, a prequência (que palavra engraçada!) de O Senhor dos Anéis, onde Tolkien introduz o fantástico mundo da Terra Média. Na história, acompanhamos Bilbo Bolseiro junto com Gandalf e um grupo de anões numa jornada até a Montanha Solitária, onde eles pretendem recuperar o tesouro roubado pelo dragão Smaug, o Magnífico. Pelo caminho, eles encontram personagens como Elrond e Gollum, e passam por muitas dificuldades. 

O livro é um clássico da literatura infantil, mas para mim deveria ser leitura obrigatória para qualquer idade. Escrito de maneira simples, mas muito bonita e divertida, não consegui parar de ler por um momento. Sério, eu sentei para ler pela tarde, achando que leria só alguns capítulos… Quando vi, era noite e eu já tinha terminado de ler! Pretendo ler novamente, com mais calma, quem sabe até uma versão comentada para compreender melhor coisas que posso ter passado por cima ou não interpretado corretamente.

O livro foi dividido em uma trilogia (buá!), e a primeira parte estréia dia 14 de dezembro aqui no Brasil:

O Médico e o Monstro (Dr. Jekyll and Mr. Hide) – Robert Louis Stevenson
O Médico e o Monstro é um livro curtinho de ficção científica, publicado originalmente em 1886. O Dr. Utterson, advogado londrino, após a leitura de um testamento e de alguns acontecimentos estranhos, começa a investigar a relação entre seu velho amigo, Dr. Henry Jekyll, e o misterioso e sombrio Mr. Hide.

O livro é um clássico de horror da literatura mundial e apesar de não dar exatamente medo ao lê-lo, é muito interessante pela discussão que gera. Aborda questões sobre a dualidade da mente humana, da luta interna entre os nossos aspectos primitivos e civilizados, e a ideia de que somos feitos de personalidades que competem internamente entre si. Me lembrou muito o filme Psicose, e apesar de ambos serem histórias de horror que não são de dar medo medo, não deixam de ser assustadoras para mim.

O Vendedor de Armas (The Gun Seller) – Hugh Laurie
Escrito pelo brilhante Hugh Laurie e publicado originalmente em 1996, O Vendedor de Armas acompanha Thomas Lang, um ex-membro da tropa de elite do exército britânico, que recusa uma proposta de assassinar – por 100 mil dólares – um empresário norte-americano. Ele não só recusa essa proposta como tenta avisar esse empresário que alguém está tentando assassiná-lo. Assim, ele acaba se envolvendo sem querer em uma conspiração com direito a terrorismo internacional, tráfico de armas e agências de inteligência internacionais.

O livro é muito sarcástico, como se podia imaginar, e o humor me lembra muito Douglas Adamas (autor de O Guia do Mochileiro das Galáxias), mas creio que seja por conta do humor britânico comum aos dois autores. Infelizmente, eu não gostei muito da história, achei muito aleatória no começo e muito corrida perto do final, como se tentasse enfiar muitos acontecimentos antes que o limite de páginas acabasse. Sim, o livro é divertido e cheio de reviravoltas interessantes, comum aos livros de espionagem, mas eu achei confuso demais em muitas partes. Talvez eu estivesse com minhas expectativas muito altas, mas eu esperava muito mais.

Apaixonada por Palavras – Paula Pimenta
Primeiro livro que eu li da Paula Pimenta, escritora mineira mais conhecida por publicar as séries Fazendo o Meu Filme e Minha Vida Fora de Série. Lançado esse ano, o livro reúne 55 crônicas escritas pela autora ao longo de uma década, dando para notar as mudanças e a evolução na sua escrita. O livro é muito gostoso de ler, parece mais uma conversa que você está tendo com a autora. Ri alto em vários momentos muito engraçados e me identifiquei bastante com algumas partes, como os problemas de ser tímida demais. Leitura rápida e divertida, me lembrou bastante a Martha Medeiros.

O Clube do Filme (The Film Club) – David Gilmour
Baseado na história real contada por David Gilmour, um escritor e crítico de cinema, que permite que o filho de 15 anos, que não quer saber de estudar, saia da escola e fique sem trabalhar e sem pagar aluguel, sob uma condição: todas as semanas, os dois tem que assistir três filmes escolhidos pelo pai.

Para mim, o livro levantou uma questão interessante sobre a importância  de estudar. Eu realmente acredito que estudar do modo convencional, de ir para a escola e aprender de uma maneira mecânica (que não é necessariamente a única maneira, mas a mais comum) não é para todo mundo. Também acredito que algumas pessoas são tão inteligentes, não do tipo “book smart“, mas espertas e com ideias interessantes, que não precisam passar anos estudando para terem sucesso em algum empreendimento. Mas eu também acredito que o mínimo de educação formal é essencial para qualquer pessoa.

Enfim, não gostei do livro quando passou a se concentrar mais nas histórias amorosas do filho, nos momentos em que ele fica bêbado ou experimenta drogas, por mais que sejam importantes para o desenvolvimento do relacionamento entre ele e o pai. Eu esperava um foco um pouquinho maior nos filmes em si, numa discussão entre o pai e o filho sobre o que tinham acabado de assistir e não apenas alguns comentários rápidos e sem profundidade. Foi uma leitura um pouco frustrante, às vezes interessante, e que me deixou com vontade de assistir os 113 filmes que são mencionados ao longo do livro.

You Might Also Like

5 Comments

  • Reply
    Cristiano
    4 de outubro de 2012 at 4:50 PM

    dos q vc leu eu ja li o Hobbit.

    Mto bom… mas uma trilogia no filme? Será que da para tanto sem enrolar?

  • Reply
    Carolina Patrício
    4 de outubro de 2012 at 8:13 PM

    Olá, Cristiano! Eu fiquei surpresa quando descobri que ia dividir O Hobbit em três partes, mas pelo que entendi, eles vão adicionar coisas além do livro. Também espero que não os dois últimos filmes fiquem enrolando…

  • Reply
    Luciana Guerra
    5 de outubro de 2012 at 1:37 PM

    Carol, alguém já te pediu A vida de Pi emprestado? Quero ler para ir ver no cinema com você!! Ai, que bom ter uma amiga antenada que sabe o que ainda vai ficar em cartaz… rs. Bj.
    P.S.: Adoro estes posts sobre o desafio literário!!

  • Reply
    Carolina Patrício
    6 de outubro de 2012 at 5:52 PM

    Oi Lu, ninguém pediu (ainda!), pode pegar emprestado, sim! Mas ó, eu vou tá viajando quando o filme estrear, se você quiser me esperar! (The Girl with the Dragon Tattoo feelings…)

  • Reply
    Taís.
    6 de outubro de 2012 at 9:36 PM

    carol, te adoro! eu desopilo no seu blog! haha 😀

Deixe uma resposta