Desafio Literário Livros

Desafio Literário – Novembro 2012

O mês de novembro passou voando e, dessa vez, consegui ler 7 livros. Assim terminei o Desafio Literário 2012! Depois eu vou escrever um post falando sobre como foi ler 50 livros em um ano e como eu pretendo fazer o Desafio do ano que vem. Enfim, esses foram os livros lidos nesse mês:

Atenção: possíveis spoilers!

Praticamente Inofensiva (Mostly Harmless) – Douglas Adams
Praticamente Inofensiva é o último volume da série de O Guia do Mochileiro das Galáxias escrito por Douglas Adams. Publicado originalmente em 1992, é considerado por muitos fãs e críticos o livro mais “fraquinho” da série, e o próprio autor admitiu que estava passando por um momento difícil na vida e que isso acabou afetando o livro. Mas mesmo assim, eu gostei muito da história, que está absolutamente mais maluca e aleatória que as anteriores. A ironia e as piadas continuam incríveis, o final foi totalmente inesperado (e um pouco melancólico), até não acreditei e precisei voltar para ler mais uma vez.

Enfim, é impossível comentar mais sobre o livro sem soltar spoilers, e acho que assim perde a surpresa da coisa.  Mas chego no final dessa série pensando que talvez não tenha entendido muita coisa (provavelmente entendi menos do que realmente acho que entendi!), mas que foi uma experiência muito divertida, foi!

Um sexto volume, chamado And another thing… (ainda sem publicação em português), foi lançado em 2009 pelo escritor irlandês Eoin Colfer, autor da série Artemis Fowl. Fiquei feliz em saber que essa versão foi bem recebida e que o Colfer conseguiu fazer jus ao autor e à série. Pretendo ler esse livro logo, logo.

Quem é você, Alasca? (Looking for Alaska) – John Green
O segundo livro que li foi Quem é você, Alasca?, o primeiro livro publicado pelo John Green, em 2005. O livro acompanha Miles Halter (apelidado de “Pudge” em inglês e de “Gordo” em português), um adolescente de poucos amigos que vai estudar em um internato no Alabama. Ele está em busca de “um grande talvez” (tradução da frase “I go to seek a Great Perhaps”, do escritor francês François Rabelais, mais conhecido por ter escrito Gargantua e Pantagruel). Lá, ele faz amizade com o seu colega de quarto, Chip “O Coronel” Martin, e uma garota chamada Alaska Young, por quem acaba se apaixonando.

O livro é dividido em duas partes: “Antes” e “Depois”, assim como grandes acontecimentos que dividem a História – tipo, antes e depois de Cristo. Mas eu já sabia qual era esse grande evento “divisor de águas” (damn you, spoilers!!), e talvez seja por isso que não consegui me surpreender e gostar tanto assim da história.

Porém, o livro tem diálogos e personagens muito interessantes, e frases que são ótimas para guardar num caderno, como a minha favorita:

Então voltei para o meu quarto e desabei no beliche de baixo, pensando que, se as pessoas fossem chuva, eu era garoa e ela, um furacão.

Enfim, tudo o que faz um livro Young Adult ser bom, apesar de ter sido banido em algumas escolas nos Estados Unidos por conter cenas de sexo explícito, além de adolescentes que bebem, fumam e falam muitos palavrões (e fez com que o John filmasse esse vídeo no canal dos vlogbrothers intitulado “I Am Not A Pornographer”, ou “Eu não sou um pornógrafo”). O John criou também um tumblr específico para responder perguntas relacionadas ao livro: onlyifyoufinishedalaska.tumblr.com.

The Raven (O Corvo) – Edgar Allan Poe
O terceiro livro que li foi O Corvo, em formato de ebook no tablet. Publicado pelo poeta e escritor estadunidense Edgar Allan Poe em 1845, o seu poema mais famoso fala sobre uma visita misteriosa que um corvo faz para um estudante que está lamentando a perda de seu amor, Lenore.

Como estava lendo em inglês e, bem, se tratava de um poema, fui consultar um guia de estudos para compreender melhor o texto. Acabei passando mais tempo lendo o guia sobre o poema do que lendo o próprio poema, mas tudo bem… Apesar de não entender absolutamente nada sobre poesia, a maneira em que foi escrito, a musicalidade e a atmosfera sombria fazem de “O Corvo”, para mim, leitura obrigatória.

The Curious Case of Benjamin Button (O Curioso Caso de Benjamin Button) – F. Scott Fitzgerald
Vocês devem ter visto/ouvido falar do filme de mesmo nome com Brad Pitt e Cate Blanchett. O livro em que o filme se baseia é minúsculo, e conta basicamente a história de um homem que nasce aos 70 anos de idade e vai ficando mais novo com o passar dos anos, como ele nunca tem exatamente a idade “certa” e os sofrimentos que ele passa nas mãos do pai, que não aceita ter um filho assim, e depois do próprio filho, um momento mais triste ainda.

O livro é escrito como um conto de fadas, sem muitos “embelezamentos” comuns do autor, e apesar de ter umas partes divertidas, foi uma leitura que me deixou triste, pensando por muito tempo sobre a inevitabilidade da morte. O filme é bem mais desenvolvido, e apesar de ter gostado (especialmente das partes que mostram um homem sendo atingido sete vezes por um raio, inspirado na verdadeira história de Roy Sullivan), ainda assim gostei mais do livro.

Santiago do Chile – Martha Medeiros
Em duas semanas estaremos viajando para Santiago do Chile (yay!), e eu fiquei responsável de montar o roteiro da viagem. Por isso, li esse livro de uma vez só, mas acho que ele serve mais como referência. São indicações pessoais da autora, de um modo bem descontraído, sobre restaurantes, bares, parques, museus e compras em Santiago, além de passar informações úteis, sobre as armadilhas do espanhol para brasileiros, sobre o trânsito da cidade e lugares que são mais escondidos. Gostei e anotei muitas dicas, mas acho que já está um pouco desatualizado.

A Sombra do Vento (El cementerio de los libros olvidados #1) – Carlos Ruiz Záfon
Publicado em 2001 pelo escritor espanhol Carlos Ruiz Záfon, A Sombra do Vento começa na Barcelona dos anos 1940 com um garoto chamado Daniel Sempere, de apenas 11 anos, acordando no meio da noite assustado. Ele não consegue mais se lembrar do rosto da mãe, falecida há alguns anos. Para animá-lo, seu pai – um livreiro – o leva no meio da madrugada para um lugar secreto, o Cemitério dos Livros Esquecidos, uma biblioteca fantástica onde ficam guardados livros abandonados.

Lá, Daniel adota um livro que promete cuidar e proteger, um volume de A Sombra do Vento. Publicado por um desconhecido, Julián Carax, o livro não vendeu muitas cópias, apesar de ter sido devorado pelo jovem de uma só vez. Daniel fica tão fascinado pela história que decide procurar mais sobre o autor e suas outras obras, mas descobre que uma pessoa misteriosa – que se parece muito com um personagem do livro que leu – vem destruindo todos as obras ainda disponíveis de Carax, queimando-as.

A Sombra do Vento foi o meu livro preferido de 2012. A história é surpreendente, não consegui me desgrudar por um só momento. Ri, chorei, me assustei, me apaixonei e mergulhei tão completa e vividamente no texto que quando terminei de ler fiquei sentindo um vazio no peito e uma saudade de personagens e de lugares, que apesar de fictícios, pareciam tão reais para mim. Recomendo muito esse livro, e ainda pretendo ler os outros dois volumes da mesma série, apesar de serem histórias diferentes.

Fora de Série (Outliers) – Malcolm Gladwell
Publicado em 2008, o livro tenta basicamente responder a pergunta ‘o que torna grandes conquistadores pessoas diferentes?‘, o que torna uma pessoa brilhante um gênio? O autor desmitifica a ideia de que essas pessoas inscríveis o são por terem “vencido” sozinhas e explica que, na verdade, um número imenso de outros fatores influenciam nesse resultado, como onde e em que época nasceram, quem foram seus pais e de onde eles vieram, como era a cultura em que viveram, e como foram educados, entre outras coisas.

Gosto da maneira que esse autor trata de assuntos que poderiam ser chatos ou difíceis, mas acabam ficando mais fáceis de entender e até divertidos. Esse livro foi bastante revelador e me deixou pensando por um bom tempo sobre o assunto, especialmente sobre a igualdade de oportunidade: quantas vidas seriam diferentes, quantas pessoas brilhantes existiriam, se todos pudessem ter a mesma igualdade de oportunidade. Enfim, recomendo muito se você gosta de livros de não-ficção estilo Freakonomics ou A Lógica do Cisne Negro.

You Might Also Like

5 Comments

  • Reply
    Luciana Guerra
    7 de dezembro de 2012 at 12:13 PM

    Adorei os livros de Novembro. Tou morrendo de curiosidade em relação a como foi esse ano com este desafio e queria muito que você não deixasse de incluir os "contras" de fazer uma coisa assim. (Claro, se vc achar que teve contras). Eu queria muito fazer uma coisa deste tipo (porém mais modesta) no ano que vem, mas não de um jeito que possa me estressar.
    Bj, Carol!

  • Reply
    Carolina Patrício
    8 de dezembro de 2012 at 1:27 PM

    Oi Lu, fiquei pensando nos contras e só consegui encontrar um! Vê lá o post, e recomendo muito fazer um desafio desses, nem que seja apenas com 12 livros. Beijos

  • Reply
    Taís.
    10 de dezembro de 2012 at 12:02 PM

    Caroool!!!! Quero ler muuitos desses livros… Oh, God! Terão que ficar pra depois da monografia, mas depois quero conversar contigo sobre eles depois e talvez pedir uns emprestados, hehe 😀

    (gostei de ver, passei poucos dias sem vir e qndo vim aqui no blog tinham vários posts! Depois vou ler todos com calma, to indo trabalhar. Ah, tbm adorei o novo "leiaut")

    beijo!

  • Reply
    Carolina Patrício
    10 de dezembro de 2012 at 2:14 PM

    Taís, eu empresto qualquer livro que você quiser sem problemas, você já sabe como eu gosto de cuidar bem deles mesmo!

    Que bom que você gostou do novo layout, eu prefiro ele assim do que como estava antes. Carrega mais rápido e parece mais "limpo", sabe? Ainda tenho que ajeitar algumas coisas, mas vou aos pouquinhos deixando do jeito que quero. Beijos!

  • Reply
    Taís.
    12 de dezembro de 2012 at 8:08 AM

    Oba! Hehe, nunca tive coragem de pegar um livro teu, mas já peguei vários de Luciana, pode confirmar com ela q eu cuido bem! 😀
    Blog cada vez mais legal e bonito!

Deixe uma resposta